Potencializando sua natação infantil

Publicidade

A natação infantil é a atividade mais lucrativa do setor aquático de uma academia ou escola de natação. Em nenhuma outra atividade é possível alocar quantidade igual de clientes por metro quadrado de espelho d’água. Por isso, é necessário organizar turmas e espaços na piscina de maneira a potencializar ao máximo esta atividade, que possui demanda em horas restritas do dia. Um projeto de piscina bem feito ajuda na operação e divisão de turmas, caso esta ainda não tenha sido construída.

Uma piscina em formato de “L” não é útil para natação de adultos, mas acaba sendo um divisor natural de turmas, quando lidamos com crianças, ou até mesmo para aulas de hidroginástica que ocorram simultâneas à natação infantil. Diversas academias constroem piscinas exclusivas para bebês, com profundidade reduzida. A construção deste tipo de espaço não é recomendada, justamente por se tornar exclusiva. Com as dimensões e profundidade pequenas, a piscina acaba ficando vazia a maior parte do tempo, ocupando espaço útil e causando despesas com aquecimento, filtragem, dentre outras.

Definido o formato da piscina, é necessário desenvolver a parte técnica. O primeiro passo é decidir um parâmetro etário para cada nível e o número de níveis. Recomendo que se dividam as turmas em, no máximo, seis etapas, separando cada com diferença média de dois anos de idade. Lembrando que o parâmetro etário serve como um guia, que pode e deve ser quebrado quando o desenvolvimento técnico de uma criança encontra-se aquém, ou além, da sua faixa etária. É importante estabelecer a lotação de cada turma e o tamanho de área a ser utilizada por ela. Feito isso, cria-se um mapa da piscina e divide-se o espaço entre as turmas, respeitando o espaço definido.

Há academias ou escolas de natação que trabalham com uma quantidade maior de níveis, dividindo as turmas em infinitas faixas etárias, em graus iniciante e avançado. Isto acarreta em um número maior de professores na sua equipe, troca constante dos alunos de turmas e uma gama menor de horários a ser oferecido para nível. No fim, sua operação se tornará mais complexa, menos rentável e a criança não estará necessariamente nadando melhor.

Nomear cada nível com o nome de um animal aquático, evoluindo de um pequeno a um maior, pode ser estimulante para a criança. Ela visualizará os animais maiores e desejará chegar até aquele nível.

Mesmo com as suas turmas já organizadas, ainda assim será necessário fazer alterações eventuais, seja por irmãos com idades diferente que desejam nadar em horários próximos, ou crianças com agenda restrita.

Essas são apenas algumas dicas para você poder potencializar o setor de atividades aquáticas da sua academia!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Sobre a REF&H

Fundada em 20 de setembro de 2002, a revista Empresário Fitness & Health se consolida como uma das mais conceituadas revistas no segmento fitness, levando informação relevante e em linguagem acessível aos gestores de academias e profissionais que queiram se diferenciar no mercado.

Leia mais

WhatsApp da REF&H
Enviar