Publicidade

O que todo gestor precisa saber sobre arquitetura: cores

Colunista: Patricia Totaro

Cores não são apenas um detalhe na Arquitetura. Cores proporcionam e causam sensações nas pessoas ao redor e nos ambientes. Só por isso, a escolha das cores já seria uma grande aliada em um projeto arquitetônico de uma academia. Mas também é a forma mais econômica de se fazer uma remodelação de impacto.

O que as cores fazem por sua academia?

A sensação a ser transmitida ao aluno deve estar explícita em cada ambiente, pois ele ora precisa estar mais relaxado, ora mais energizado. Trabalhar a cor na pintura e em objetos de decoração é a maneira mais prática e econômica de mudar o aspecto e aceitação de uma academia

Por isso, a cartela de cores aliada aos diversos materiais de acabamento pode determinar o sucesso de um ambiente. Não basta decidir qual a cor ideal; é preciso saber em qual tom usá-la. Por exemplo, a cor verde: na tonalidade clara vai estimular suavidade e calmaria, enquanto no tom mais cítrico, o verde-limão possui características da cor amarela em sua composição, perdendo assim sua suavidade e causando uma sensação de energia.

As cores também podem mudar de acordo com a iluminação, portanto, atente-se em escolher as cores pensando nas possíveis combinações em paredes, pisos, iluminação, cor dos equipamentos e demais interferências.

Pode-se utilizar as cores com a finalidade de destacar ou esconder objetos em uma parede com muitas interferências visuais como canos e quadros de luz. Se a ideia for esconder, pinte tudo da mesma cor, inclusive os detalhes indesejáveis. Por outro lado, se existe um objeto ou informação que precisam ser destacados, use uma cor contrastante para chamar atenção.

A teoria das cores

É bom conhecer um pouco sobre a teoria das cores, que define cor como: “sensação consciente de um observador, cuja retina está estimulada por energia radiante”.

As cores são divididas em quentes e frias. As cores quentes são estimulantes e dinâmicas, lembrando alegria e movimento. Cores quentes como a vermelha e a laranja, por exemplo, aproximam-se visualmente do observador, dando a impressão de ambiente menor. Já as cores frias, como o verde e o azul, distanciam-se do observador tornando o ambiente aparentemente maior. As cores frias acalmam os olhos e sugerem suavidade a ambientes estáticos e as cores quentes causam excitação.

E por último, para saber que cor combina com qual, use a roda das cores. A cor que está na direção oposta sempre pode ser usada em situações de contraste, que cria um efeito jovial e popular. E as cores que estão ao lado, criam um efeito mais sofisticado de tom sobre tom.

Como descobrir a cor da moda?

Agora que você conhece um pouco da teoria das cores, precisa também saber o que o seu cliente entende como atual. As cores “da moda” não acontecem por acaso. Existem influências ditadas pelo mercado: uma das referências em cores é o Instituto de Cores Pantone, que, após “Cor do Ano”, que dita a tendência de vários mercados.

Também vale estar atento às principais marcas de tinta, que também lançam suas Cores do Ano e ajudam a construir o que o seu cliente de academia (e outros mercados, claro!)  consideram atual.

Conhecer essas técnicas é importante para você usar a Arquitetura como estratégia de Gestão!

Mês que vem vou te contar o que é o tal do ponto focal e como é fácil enganar o nosso cérebro para o seu cliente enxergar o que nós queremos que ele veja!

Conte comigo!

Leia outros artigos

O que achou desse artigo?

Publicidade

REF&H
Enviar