Publicidade

Aulas coletivas fora das tendências do fitness 2022?

Colunista: Geraldo Filho

O American College of Sports Medicine (ACSM) acabou de lançar as tendências do fitness para 2022 e, após alguns anos, as aulas coletivas estão fora da lista… Mas será?

Desde 2017 as aulas coletivas retomaram seu espaço na lista de tendências chegando, inclusive, a ocupar lugar entre as 10 primeiras (6º lugar em 2017, 2º lugar em 2018 e 2019, 3º lugar em 2020, 17º lugar em 2021). É claro que a pandemia teve contribuição direta, pois as aulas coletivas passaram um bom tempo desativadas pelo risco de contaminação devido à aglomeração que ela gera por diversos fatores já citados em outros artigos. Mas se pararmos para analisar, todas as tendências podem ser utilizadas em ambientes coletivos, inclusive no modelo on-line. Vamos relacionar algumas:

  1. Tecnologia vestível                                        
  2. Academia de ginástica em casa         (Treino em família)
  3. Atividade física ao ar livre                   (Funcional, ritmos, etc)
  4. Treino de força com peso livre           (Localizada com ou sem implemento)
  5. Atividade física e emagrecimento      (Jump, Step, Spinning, ritmos, circuitos etc)
  6. Personal training                                   ( Personal com 2 ou mais pessoas)
  7. Treino de HIIT                                          (Diversos modelos)
  8. Treino com o peso do corpo                (Localizada, HIIT, Core, etc.)
  9. Aulas online                                            (Plataformas digitais)
  10. Saúde/Wellness coaching                   (Desafios de emagrecimento, box de treinamentos)

Ficou interessado nesse artigo?

Assine a REF&H por R$ 120,00/ano e tenha acesso a mais de 300 artigos, além de todo o acervo (mais de 2000 artigos) disponível em formato digital em nosso site.

Percebam que as opções acima são perfeitamente utilizáveis dentro do ambiente coletivo, oferecendo os mesmos resultados com a mesma eficiência e segurança; isso significa dizer que nas entrelinhas, as atividades coletivas nunca estiveram fora, apenas não estão em destaque, pelo menos por enquanto.

Tenha certeza de que o primeiro lugar que as pessoas irão procurar para se exercitar – e isso já está acontecendo – quando estiverem em total segurança quanto à possibilidade de contaminação, serão as salas de ginástica.

Percebam que cada vez mais, todo o segmento da Educação Física vem se tornando primordial na mudança de comportamento das pessoas e no resgate da saúde delas e nada melhor que um grupo de ginástica para isso. Entretanto, mesmo com a necessidade da sociedade de consumir nossos produtos não devemos oferecê-los de qualquer jeito, é preciso ter qualidade, eficiência e organização para que os resultados sejam duradouros e para isso, nada melhor que buscar conhecimento sempre; a prática apenas não é suficiente, pois é a teoria que dá suporte a prática. Entretanto, vejo que inúmeros profissionais do segmento jamais sequer leram um livro ou artigo sobre ginástica e têm a enganosa certeza que só a prática sustenta.

Existem sim, diversos livros e artigos sobre ginástica coletiva e aproveito aqui para falar sobre o livro que acabei de escrever com a professora Doutora Maria do Socorro Cirilo, que vem trazendo um embasamento científico muito rico para aplicação prática da modalidade, desde a história da ginástica à montagem de sessões de treinos, métodos, sistemas, e muita informação que talvez muitos desconheçam e que é de extrema importância e pode mudar o rumo da sua carreira e até mesmo sua visão quanto ao segmento.

Se pararmos para analisar, todo profissional adquire material (livros, revistas, artigos) relacionados à área que atua – o maior exemplo são os atuantes de musculação – e os profissionais de coletivas também precisam seguir essa linha! Eu poderia listar aqui diversos livros, recentes e antigos que são verdadeiros best-sellers sobre ginástica e de uma contribuição fundamental na formação de diversos profissionais de primeira linha que atuam por aí a fora…

Portanto, investir na sua carreira é muito mais do que música e coreografia e é responsabilidade obrigatória de um profissional que cuida de pessoas através do movimento ritmado.

Não deixe a ginástica coletiva morrer e prepare-se: logo ela estará de volta ao topo das tendências do fitness!

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia outros artigos

O que achou desse artigo?

Publicidade

REF&H
Enviar