Aulas de ritmo: uma poderosa ferramenta de treino

A palavra “ritmo” vem do grego “rhytmos” e designa aquilo que flui através de movimentos regulados, que facilitam a aprendizagem motora, processo natural do ser humano. Somos dependentes do ritmo para todas as atividades que formos realizar, seja na vida diária, profissional, desportiva ou no lazer.

Na educação infantil, por exemplo, é uma habilidade importante, pois dá à criança a noção de duração e sucessão, no que diz respeito à percepção dos sons no tempo. Entretanto, essa falta de habilidade rítmica pode acarretar uma leitura lenta, silabada, com pontuação e entonação inadequadas e, por isso, a grande importância dos professores de Educação Física nesse processo, pois isso se reflete diretamente na formação básica e técnica, na criatividade e na educação de movimento.

A volta das aulas de ritmo

Com a forte retomada das aulas ritmos no Brasil, em academias, parques e praças, devemos começar a pensar no que as pessoas procuram, bem como o que devemos oferecer, pois temos que pensar em modelos de aulas para todos os públicos e não apenas para os que já têm habilidades. Mas, não é isso que acontece nos tempos de hoje, infelizmente!

A maioria das pessoas procura nas aulas de ritmos motivos para aprendizado (técnica), diversão, estética, socialização, terapia;s entretanto, temos que observar que dentro dessas aulas devemos oferecer muito mais, como melhoria cardiovascular, prevenção e ou tratamento de doenças , melhoria na memorização, desenvolvimento.  Não basta apenas que a atividade muscular reproduza as melodias, refrões ou formas musicais, é necessário que a música seja a medida certa para o movimento aplicado dentro do treinamento; ela deve ser racional e emocional.

Sabemos que nas aulas coletivas, o que define o andamento da aula é a velocidade com que devem ser executados os movimentos, através das marcações constantes, intensidades variáveis e isso é exatamente o que chamamos de ritmo!

Deixo, então, uma pergunta: suas aulas de ritmos têm como objetivo o treinamento ou o entretenimento?

Os benefícios das aulas de ritmo

Lembrando que entretenimento não é Educação Física, mas não podemos deixá-lo de usar como ferramenta de motivação para o bem-estar. Nas aulas de ritmos da atualidade, os professores estão muito mais preocupados em reprodução de coreografias do que ensinar o aluno dentro de um processo pedagógico, além de algumas aulas que são direcionadas apenas para um público: aqueles que “sabem”. Ou seja, “sigam-me os bons!”.

Desenvolver e harmonizar as funções motoras, movimentos corporais no tempo e no espaço aprimorando o ritmo, determinando qualidade, bem como sua liberdade de movimento, propiciando sua realização com mais naturalidade, são benefícios obtidos (ou deveriam ser) dentro das aulas de ritmos, e a variedade musical e de estilos é uma das chaves para alcançarmos de uma forma mais motivante esses objetivos. Uma seleção musical pode tornar uma aula ruim, razoável, boa ou excelente; a música é uma forte aliada do professor e mais ainda do aluno nas sessões de treinamento.

Motivação através da música

A motivação através da música pode trazer à tona momentos marcantes da vida de cada participante, sentimentos vividos ou alguma situação vivenciada em algum momento da vida de cada um; as boas músicas elevam o astral dos alunos, aumentando seu desempenho. Através de uma boa música a pessoa se deixa invadir por extraordinárias sensações corporais, fazendo com que se esqueçam até mesmo de suas fraquezas. Dentro de uma aula a exaustão deve e vai existir, entretanto pode ser adiada, usando como ferramenta a música, isso porque ocorre uma espécie de bloqueio sensorial feito pelo sistema nervoso central, que ao invés de enviar sensações de cansaço, envia sensações de bem-estar e prazer. Se, ao contrário, a música for ruim ou caso o aluno não goste do estilo musical, essa sensação pode ser inversa e o aluno pode desistir da aula.

É preciso que os profissionais do fitness coletivo ampliem sua visão e comecem a perceber que aula de coreografia é diferente de ginástica dançada, que é planejada para mascarar um treinamento tornando-o mais prazeroso.

A música exerce efeito estimulante sobre a motricidade humana, podendo esta ser ativada ou retardada de acordo com o caráter melódico ou a tonalidade da peça musical.

Você é o MAESTRO da aula e os alunos são os músicos; a boa condução da aula depende de você! Satisfação total é impossível, entretanto, a proximidade é fundamental!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia outros artigos

REF&H
Enviar