Ginástica on-line: a reinvenção de uma ideia genial

Mesmo estando em meio a um processo meteórico de mudanças em diversos aspectos – e o mais forte sem dúvidas é o profissional – resolvi, neste artigo, contar um pouco da história da ginástica online, ou da genial ideia que acredito ter dado o pontapé inicial no surgimento dos profissionais de coletivas diante das diversas mídias.

Começo então perguntando a você, profissional de Educação Física que atua em aulas coletivas: você já ouviu falar do Professor Oswaldo Diniz Magalhães? Ou na HORA DA GINÁSTICA e quem eram os RÁDIO GINASTAS? Foi exatamente essa a primeira versão no Brasil de ginástica com formato online, além de ser uma das primeiras manifestações populares brasileiras nesse segmento de forma maciça. Esse professor, quando ninguém esperava, surgiu com um programa onde ouvia-se apenas a sua voz, porém ministrando aulas e incentivando as pessoas a praticarem exercícios de forma “online” (remota) e acompanhado por um piano, ou seja, com música, isso nos anos 30, em uma época onde as pessoas praticavam futebol, remo, lutas, etc.

Oswaldo Diniz Magalhães no programa "A hora da ginástica"

O precursor das aulas coletivas

Aproveitando o fato de ser radialista, o professor Oswaldo criou a HORA DA GINÁSTICA, que acontecia na Rádio Educadora Paulista, apesar de ele ser carioca. Dentro de uma época muito conturbada no Brasil, ele convenceu o gestor da rádio – um médico que já acreditava nos benefícios dos exercícios – a criarem esse momento.

Sendo assim, com seu modo detalhado de explicar e de fácil entendimento, ele alcançou milhares de pessoas. Pensem bem: não havia tecnologia, nem imagem, apenas o som e simplesmente essas aulas “online” ficaram presentes (pasmem!) dos anos 30 aos anos 80, mais precisamente durante 51 anos e 3 meses; ou seja, quando acabaram as aulas na rádio as aulas de ginástica presenciais estouraram no Brasil sob o comando de um de seus percursores o Prof. Dr. Mauro Guiselini.

Os seguidores da hora da ginástica foram chamados de “RÁDIO GINASTAS”, que impreterivelmente todos os dias, às 6 da manhã, eram saudados pelo Professor que dizia: “BOM DIA RADIO GINASTAS”! Ele também distribuía uma espécie de “mapas de exercícios” nas bancas de revistas (hoje seria equivalente àqueles painéis de alongamento nas academias) para as pessoas se exercitarem repetindo os exercícios em casa. Ele ainda tinha as fichas dos participantes com dados básicos como altura e peso, se o praticante tinha alguma doença, se fazia uso de medicamentos – a boa e velha anamnese. A partir daí, ele elaborava o programa de atividades, que também contava com indicações de filmes e livros.

O professor Oswaldo também foi o pioneiro das aulas de ginástica na praia, daí então, os canais de televisão (já nos anos 80) se apropriam da ideia e disseminaram programas de incentivo à prática de exercícios. Toda essa fenomenal visão rendeu um livro (raro) a seu respeito e sobre esse trabalho, escrito por Sérgio Carvalho, que é um resgate fantástico de uma obra genial e visionária para a época e também pouco conhecida, intitulada com o mesmo nome dado ao programa. Passados mais de 60 anos, a ideia vem sendo utilizada de forma muito mais tecnológica, claro, porém, se está acontecendo hoje é porque um dia alguém tentou de outra forma e deu certo.

Como impactar pessoas com as aulas coletivas

Então, pensemos juntos: quantas pessoas esse profissional ajudou a sair do sedentarismo sozinho e às cegas? Quantos rejuvenesceram acompanhando ele? Quantos ganharam longevidade e qualidade de vida? Quantos hipertensos e diabéticos melhoraram sua saúde? Quantos ele salvou de transtornos mentais em uma época que não se tinha recursos científicos? Ninguém sabe, entretanto, fato é que ele usou a criatividade, a força de vontade, competência-habilidade-atitude, muitos o consideram o primeiro “PODCASTER”, sacaram? O que isso inspira você? A mim, inspira muito, pois cada vez mais temos o poder de transformar a vida das pessoas de uma forma fenomenal e positiva. Ferramentas não nos faltam agora, mais do que naquela época!

Portanto, basta que empunhemos com determinação a bandeira da nossa missão, entremos de peito aberto na luta, paremos de reclamar, se queixar e comecemos a investir na nossa carreira com o intuito de melhorar a condição de saúde das pessoas! Tenha um olhar para isso de modo que, de uma vez por todas, as pessoas percebam a força que a Educação Física tem perante uma sociedade cada vez mais doente, carente de amor e saúde.

O fato de termos fácil acesso às pessoas hoje, não significa dizer que iremos levar algo que não impacte, engaje, cause alegria, boa impressão e mude definitivamente a vida delas. Quando alguém escolhe participar da sua aula você é um privilegiado e esse seguidor merece o melhor, o mais bonito, emocionante seguro e eficiente, isso é a retribuição obrigatória nossa ao voto de confiança que nos foi dado.

Se nos anos 30 o melhor foi oferecido apenas com a voz, imagine nos dias atuais?

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia outros artigos

Publicidade

REF&H
Enviar