Publicidade

Reajustar ou não: eis a questão!

Colunista: Celso Cunha

Chegando ao final do ano surgem as dúvidas:

Os custos se elevaram, nem todos os clientes retornaram, orçamento apertado e ainda a obrigação do pagamento do décimo terceiro... Mas, se agora já não está bom, se reajustarmos os preços podemos perder clientes para a concorrência ou até paro o sofá e piorar ainda mais a situação! E se elevarmos as mensalidades quanto seria razoável? No grupo, falamos em R$10,00, mas QUANDO implementar esse reajuste?

Ok, vamos pontuar: O fato é que a pandemia maltratou a todos.

“O pão caiu com a manteiga pra baixo.”

Está sendo um exercício de precisão e fôlego, nunca fizemos tantas contas como nesse período. Essa é a parte boa: rever todos os gastos e meter a mão na massa.

O “fique em casa” causou e ainda causa desabastecimento e elevação dos custos de produção em todos os setores: indicadores de inflação como IPCA (10,67%); INPC (11,08%) e IGPM (17,89%); Taxa SELIC (Juros 9,25% a.a.); alimentação (21,4%); energia elétrica (16% em média); combustíveis mais de 60% e por aí vai…

Conceituando que inflação é a perda do poder de compra do dinheiro, ou seja, o que compraríamos com R$ 100,00 há doze meses, dependendo do que se pretendia comprar, precisaríamos de R$ 110,00 até R$ 170,00 hoje. Esse aumento de preços se eleva em escala desde a matéria prima até a venda final ao consumidor no varejo, o que chamamos de efeito cascata.

Caso a opção seja por manter os preços sem reajustes, aos poucos sua margem de lucro se transformará em fumaça, o capital de giro será utilizado e não reposto, agravando a situação da empresa. Se optar por reajustar, sugiro que o valor a acrescentar seja percentual e não nominal. Eu explico:

Como esse artigo chega para academias que praticam diversos valores diferenciados, o reajuste percentual seria o mais indicado já que se optar por um valor fixo, por exemplo, R$ 10,00 e a mensalidade for de R$ 200,00, o reajuste seria de 5% para essa academia; caso a mensalidade fosse R$ 50,00 esse valor de R$10,00 representaria 20% da mensalidade, supondo maior risco de desligamento do cliente pelo fator preço. Por outro lado, 10% de R$ 200,00 é R$ 20,00 e 10% de R$ 50,00 é R$ 5,00. O peso percentual sobre a mensalidade é o mesmo e o mais indicado.

Ficou interessado nesse artigo?

Assine a REF&H por R$ 120,00/ano e tenha acesso a mais de 300 artigos, além de todo o acervo (mais de 2000 artigos) disponível em formato digital em nosso site, além de diversos bônus!

Simplificando, as três questões são:

  • Reajustar? Sim
  • Quanto? Entre 7% e 10%
  • Quando? Início de janeiro próximo

Esteja atento às mudanças, pois quase que diariamente temos novidades nos cenários, normas e leis a cumprir. Reveja seus números com frequência e pratique a análise GUT (Grave, Urgente e Tendência): o URGENTE não pode esperar, o GRAVE, no máximo um mês e a TENDÊNCIA pode ser planejada para dois ou três meses. É recomendável que analise com isenção antes de decidir!

Tempos difíceis fazem pessoas fortes!

Bons negócios e boa sorte!

Leia outros artigos

O que achou desse artigo?

Publicidade

REF&H
Enviar