Publicidade

Os desafios profissionais de um mundo que consome produtos digitais

Colunista: Thiago Villaça

É uma ilusão acreditar que o fato de ser um influenciador ou uma autoridade digital te dá respaldo para ter sucesso na terceira dimensão. Outra grande falácia é acreditar que toda autoridade e influência que você tem no mundo físico é garantia de que será bem-sucedido no mundo digital!

Mas se não existem garantias, qual é a fórmula para estruturar uma carreira sólida, que esteja sempre em ascensão e que te proporcione prosperidade material, mental e espiritual?

O primeiro passo é saber que isso não existe! Já foi tempo que uma carreira sólida e inabalável era algo que pudesse coexistir com os nossos defeitos, fragilidades e deslizes. Hoje, o mundo (digital e físico) exige que você se exponha e ninguém é tão perfeito que não cometa uma gafe, um erro ou algo “incondenável” durante a vida. Por falar em vida, está cada vez mais claro que não existe a suposta separação entre vida pessoal e profissional. É tudo junto e misturado!

Saber disso pode ser desesperador ou reconfortante, depende do quanto de controle você quer ter sobre a sua imagem. O fato é que solidez vem de caráter, valores, hábitos, cultura, mentalidade positiva e desenvolvimento espiritual e, em algum momento da vida, você vai questionar, duvidar e ser refém das escolhas que fez, das decisões que tomou e até mesmo se colocar como vítima por ter escolhido ser quem você é.

Qual é a solução?

Esteja atento aos “testes” que a vida te impõe! Quando você decide algo, precisa provar o preço que está disposto a pagar para sustentar esta decisão e, se você não tem caráter, valores, hábitos, cultura, mentalidade positiva e desenvolvimento espiritual, é muito provável que passe a vida inteira sem descobrir o que te faz feliz, qual é o seu propósito de vida ou encontrar o real motivo que te faz levantar da cama todas as manhãs.

A dualidade do universo

O segundo passo é entender que o universo é feito de dualidade: alto e baixo, cheio e vazio, expansão e contração, ascensão e decadência. Se o universo é feito disso, quem é você para querer que a sua vida não seja? A ilusão, tanto no mundo físico como digital, é a de você acreditar que os “bem-sucedidos” já nasceram fortes ou nunca se depararam com dilemas, dificuldades e contradições. Pelo contrário! Para experimentar o sucesso é preciso conhecer o fracasso e muitos deles, antes de serem quem são, faliram empresas, moraram de favor ou foram demitidos de seus empregos super estáveis!

Ficou interessado nesse artigo?

Aproveite a promoção somente neste mês de novembro/2021 e faça sua assinatura VITALÍCIA da REF&H com um único investimento de R$ 120,00 e tenha acesso a mais de 300 artigos, além de todo o acervo (mais de 2000 artigos) disponível em formato digital em nosso site.

Como alcançar a prosperidade

O terceiro e mais difícil é acreditar que a prosperidade material, mental e espiritual é uma garantia profissional, ou seja, que acontece com o tempo. Besteira! Se você não busca, ela não vem! A maioria dos milionários, gurus e treinadores de sucesso só alcançaram o “status” de bem-sucedidos depois dos 40, quiçá 50 anos de idade! É uma ilusão acreditar que o “normal” é fazer o primeiro milhão antes dos 30, sair da casa dos pais antes dos 25, encontrar o amor da sua vida antes dos 20! Isso não acontece em 99% das pessoas normais. Por que haveria de acontecer com você?

A verdade é que a gente é ensinado a acreditar que a vida é uma reta crescente e que o natural é nascer, se desenvolver, procriar, morrer e não importa muito o que você decide nos intervalos, o que acontece com você é uma vontade Divina de um Ser que precisa que você faça as vontades Dele para “merecer” algo em troca.

O divertido é que, na medida que o mundo digital se torna uma referência do que DEVERIA SER o mundo real, a gente projeta, no dia-dia (que nunca é o que a gente gostaria), as angústias, a ansiedade e as comparações de um mundo virtual que passa longe de expressar a vida como ela é.

A maior parte das aflições profissionais acontecem porque passamos a vida condenando o passado, desvalorizando o presente e superestimando o futuro. Se soubéssemos, desde o início, que a vida é falha, que o mundo é um lugar injusto e cheio de hostilidade, que as pessoas vão te decepcionar, que inevitavelmente você vai magoar alguém, que o mercado de trabalho é um lugar cruel e que o mundo digital é, cada vez mais, um local onde as pessoas fazem questão de depositar as ilusões provenientes de um mundo que está longe de ser o ideal, talvez pudéssemos encontrar uma forma de viver sem depender tanto de vitórias sem significado, promessas eventuais, emoções virtuais e relacionamentos superficiais.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia outros artigos

O que achou desse artigo?

Publicidade

REF&H
Enviar