Dicas de manutenção em esteiras

Publicidade

Com minhas visitas juntamente com os PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA SEM FRONTEIRAS e como ministrante do curso GESTÃO EM MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE MUSCULAÇÃO E FITNESS EM ACADEMIAS em vários Estados do Brasil, constatei diversos problemas regionais como: seca, muito calor, umidade, poeira em excesso e fornecimento de energia elétrica irregulares, necessitando assim uma manutenção constante nos equipamentos elétrico-eletrônicos.

Por isso, sempre com o objetivo de auxiliar na manutenção de equipamentos esportivos, venho desta vez trazer informações para melhor rendimento e desempenho do material mais requisitado, as esteiras.

Primeiramente, é preciso que as instalações elétricas sejam adequadas. Recomendo que as esteiras tenham a voltagem 220v, para melhor funcionamento do motor e o menor aquecimento da fiação (verifique sempre o manual do fabricante). Cada esteira deverá ser instalada em 2 disjuntores de 20A ou 1 bipolar de 20A e aterramento eficiente para evitar a interrupção súbita do funcionamento e a energia estática evitando assim aqueles “choquinhos” indesejáveis. Se duas ou mais esteiras estiverem ligadas em uma única tomada, haverá sobrecarga de energia, o que poderá acarretar danos na parte elétrica e, também, nestes equipamentos, pois a placa de circuitos poderá queimar.

Não são recomendados para uso em academias e em locais com muitos usuários, esteiras residenciais, por um fator básico, não têm suporte, nem base e velocidade para aguentar mais que 3 horas/dia de uso. As esteiras semi-profissionais são adequadas para empresas de pequeno porte onde podem funcionar em média 6 horas/dia. Muitas têm amortecedores de impacto, manta de duas telas e velocidade acionável com botão e não com manivela. As esteiras profissionais são para locais de maior público, recomendo esteiras que funcionem no mínimo 12 horas/dia, com amortecedores de impacto, boa base, manta (passadeira) resistente e com suporte técnico.

A manutenção de todos os tipos de esteiras é semelhante, diferem apenas o período de lubrificação por tempo de uso. As residenciais precisam ser lubrificadas uma vez a cada 15 dias e as profissionais e semi-profissionais, uma vez por semana.

Recomendo a seguinte rotina:

1. Desligar a chave liga-desliga e após 1 minuto desconecte da tomada, a fim de evitar acidentes com partes móveis ou ainda energizados (energia estática).

2. Abrir a carenagem do motor e utilizar uma bomba de encher bola ou aspirador de pó na função soprador para soltar o pó da placa e da tela de respiro do motor e, em seguida, usar o próprio aspirador de pó para sugar toda poeira, principalmente a preta decorrente do desgaste da correia, pois poderá se misturar com o silicone em excesso e ocasionar o mau funcionamento nos roletes e na polia de velocidade além de, até mesmo, danificar o próprio motor e placa, com risco de curto-circuito. Passe um pano no motor e na parte interna da carenagem para acabamento.

3. Verifique a correia. Se estiver desfiando ou espedaçando, há necessidade de trocá-la, pois poderá travar o motor. O tempo de vida útil é de 12 á 18 meses.

4. Passar um pano seco entre a manta e o deck (plataforma de madeira com fórmica ou fenolite) e também em toda estrutura e painel. Cuidado para não utilizar produtos que possam danificar as estruturas, como álcool, amoníaco, tiner e similares. Pode-se usar cera automotiva ou produto especialmente desenvolvido para estes tipos de materiais, como o White Clean Gel.

5. A lubrificação com silicone líquido em esteiras profissionais que não tenham lubrificação automática, deverá ser feita com a quantidade de 40ml e com a mesma desligada, uma vez por semana, colocado entre a manta e o deck um palmo abaixo do rolete dianteiro e no centro, utilizando uma seringa medidora. Em esteiras que são equipadas com tubo lubrificador, deverá somente despejar os 40ml de silicone no tubo com ela em movimento.

6. Lubrificação com silicone em spray (aerossol) entre a manta e o deck: levante um lado da manta e esborrife o produto uniformemente e, depois, repita do outro lado. Acione a esteira por 2 minutos para espalhar o silicone sob a manta.

7. Se a lona estiver frouxa irá patinar no rolete dianteiro, na caminhada ou corrida.

8. Aperte os parafusos do rolete traseiro de 1/4 em 1/4 volta.

9. Com a esteira ligada na velocidade de 3 a 4km/h, tente frear a lona com um dos pés. Se a lona patinar, aperte novamente os parafusos até não patinar mais.

Observações importantes:

1. Esteiras que têm lubrificação automática deverão ser abastecidas com o silicone recomendado pelo fabricante no compartimento.

2. Jamais utilize outros lubrificantes tais como: óleo desingripante em aerossol, graxa, óleo, cera, vaselina em pasta ou líquida, grafite.

3. Cuidado para não exagerar com a colocação do silicone, pois a manta poderá “patinar” e escorregar para as laterais. Se a quantidade for insuficiente, poderá “queimar” o deck e/ou a passadeira.

4. Esticar a lona em excesso poderá provocar a ruptura na emenda.

5. Se a lona estiver correndo para um dos lados, aperte o parafuso do lado para o qual a lona estiver correndo, até que se consiga centralizá-la ou solte o parafuso do lado no qual a lona estiver fugindo.

Para a manutenção de alinhamento de manta, roletes, painel, placas, amortecedores e lubrificação automática, recomendo solicitar um técnico especializado.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Sobre a REF&H

Fundada em 20 de setembro de 2002, a revista Empresário Fitness & Health se consolida como uma das mais conceituadas revistas no segmento fitness, levando informação relevante e em linguagem acessível aos gestores de academias e profissionais que queiram se diferenciar no mercado.

Leia mais

WhatsApp da REF&H
Enviar