Publicidade

Como está seu nível de exigência com relação aos profissionais

Lembro-me como se fosse hoje um papo que levei com um gestor de academia do Rio de Janeiro: era a etapa de diagnóstico de uma consultoria para construção de processos para excelência em atendimento ao cliente na sala de musculação.

Estávamos tomando um café na cantina quando ele me pediu para indicar um profissional para atuação em horário nobre da musculação, das 18h às 22h. Perguntei que tipo de profissional ele gostaria de ter em sua empresa e a resposta foi exatamente a esperada: “Quero um profissional com muito conhecimento técnico, que seja proativo e que saiba realmente atender bem um cliente.”

Minha reação não foi a esperada, pois perguntei em seguida: “Quanto realmente pretende pagar para um profissional como este?” A resposta foi: “Pagarei hora/aula de mercado… o que todo mundo faz…”.

Confesso que já esperava esta resposta, justamente por atuar há anos em formação e treinamento de equipes em academias. Não tenho como objetivo criticar gestores que buscam o melhor para suas empresas com uma boa relação custo/benefício. Entretanto, estamos tratando de pessoas competentes que podem levar sua empresa para outro patamar, desde que sejam treinadas da forma correta e de acordo com metas de curto, médio e longo prazo bem definidas pela empresa.

Um profissional realmente competente une todas essas qualidades, mas precisa ser treinado para colocá-las em prática de acordo com os objetivos da empresa. Portanto, ter um posicionamento de mercado bem definido e estratégias de marketing para atrair e fidelizar clientes são essenciais. Cada profissional que atende o cliente precisa ser treinado de acordo com a promessa feita ao cliente através das estratégias de marketing.

Percebe agora como desejar profissionais de primeira linha vai muito além das competências para atendimento ao cliente? Depende do tipo de promessa que sua marca faz aos clientes e de como sua equipe está preparada para entregar o prometido.

Muitos profissionais não gostam de indicar colegas, pois todas as indicações levam seus nomes como se fossem um verdadeiro atestado de qualidade. É uma ação que compromete aquele que indicou. Alguma novidade nessa afirmação? Claro que não, mas, na prática, nem sempre nos preocupamos com o que pode acontecer no futuro.

Da mesma forma que me sinto útil indicando um bom profissional para uma empresa, me sinto na obrigação de indicar uma boa vaga para o profissional, dependendo, principalmente, da fase que ele se encontra na carreira. A nova empresa fará parte da jornada do meu indicado, envolvendo não só sua carreira, mas o conforto de sua família também. Nem todos os profissionais que indicam colegas pensam dessa forma, mas deveriam.

Gestor, você acredita mesmo que você consegue manter um profissional de primeira linha em sua sala de musculação, remunerando-o com hora/aula de mercado? Até consegue, mas por pouco tempo, pois ele certamente receberá ofertas melhores ao longo da jornada em sua academia, sendo sua sala de musculação apenas uma vitrine para que ele possa mostrar suas competências. Nada de errado nesta ação, desde que o profissional cumpra sua função, o que será fácil se ele realmente for de primeira linha.

A pandemia mostrou em curto espaço de tempo que profissionais de primeira linha não precisam trabalhar para academias ou qualquer outro modelo de negócio fitness que não seja o seu próprio. Embora haja um número considerável de ofertas de cursos sobre treinamento funcional, hipertrofia e emagrecimento, os de marketing e empreendedorismo já ocupam um bom espaço nas mentes dos profissionais de primeira linha.

Sei que você está acostumado com meus textos em formato de lista ou tópicos, mas hoje decidi promover uma reflexão densa e realmente necessária.

Que tipo de empresa estamos gerenciando para atrair os melhores profissionais para que possamos atrair e fidelizar mais clientes?

Há um ditado militar, que desconheço o autor, que diz: “As palavras convencem, mas o exemplo arrasta. “

Aos olhos dos profissionais que deseja contratar, sua empresa é de primeira linha ou remunera de acordo com o valor real de um profissional dessa categoria?

Você, enquanto gestor, é um profissional de primeira linha aos olhos da sua equipe?

Sua empresa não precisa de equipamentos caros e luxuosos ou de ambientes que geram grandes oportunidades de negócios para os profissionais que atuam como personal trainers, mas de um local que possa ser chamado de “minha segunda casa”.

Diversos profissionais de primeira linha em termos de conhecimento técnico, proatividade e excelência no atendimento desejam apenas um espaço onde se sintam bem para trabalhar. Outros preferem os locais que geram grandes oportunidades de negócios e concorrência. Além da dificuldade de encontrarmos esses profissionais com horários livres, precisamos também entender suas ambições, o que torna o processo de recrutamento e seleção uma etapa extremamente importante.

O ponto crucial da reflexão é:

Você, enquanto gestor, é visto como um líder de primeira linha para esses profissionais?

Faça parte do meu grupo no whatsapp sobre Musculação Rentável para acessar conteúdos gratuitos sobre marketing e excelência no atendimento em salas de musculação.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia outros artigos

Publicidade

REF&H
Enviar