Publicidade

O impacto da volta ao trabalho na prática de atividades físicas

Colunista: Redação REF&H

Uma pesquisa realizada pela RunRepeat, o maior site do mundo que faz revisões sobre tênis de corrida, concluiu que retornar ao trabalho criou um boom de exercícios para os menos ativos fisicamente.

Segundo Nicholas Rizzo, o objetivo da pesquisa foi entender como os hábitos de exercícios das pessoas que foram forçadas a trabalhar remotamente durante a pandemia foram afetados pelo retorno ao local de trabalho em tempo integral.

Para isso, foram ouvidas 2.494 pessoas que trabalhavam remotamente durante a pandemia sobre seus hábitos de exercício antes e depois de voltar ao trabalho. Vários grupos, dependendo de sua frequência semanal de exercícios:

  • Baixa frequência: 1-2 vezes/semana
  • Frequência moderada: até 3 vezes/semana
  • Alta frequência: 4+ vezes/semana

Os entrevistados que voltaram ao trabalho em tempo integral relataram como a pandemia afetou sua frequência de exercícios e como esses hábitos se modificaram após a volta ao trabalho. As principais conclusões da pesquisa foram as relatadas abaixo:

  • 59,52% dos que não praticavam exercícios estão se exercitando ativamente em média 2,64 vezes por semana desde o retorno ao trabalho.
  • Pessoas que se exercitavam 1 a 2 vezes/semana aumentaram a frequência de exercícios em 125,93%.
  • Pessoas que se exercitavam até 3 vezes/semana aumentaram a frequência de exercícios em 38,57%.
  • Pessoas que se exercitavam mais de 4 vezes/semana diminuíram a frequência de exercícios em 14,16%.

Considerações

  1. Percebe-se que o retorno ao trabalho criou um boom de exercícios para aqueles que MENOS se exercitavam. Aqueles que se exercitavam até 2 vezes por semana aumentaram a frequência de exercícios em 125,93%, passando de 0,98 vezes/semana para 2,22 vezes/semana.
  2. O grupo de frequência moderada aumentou a frequência de exercício em 38,57%, passando de 1,86 vezes para 2,58 vezes/semana.
  3. Aqueles que mantiveram uma alta frequência de exercícios enquanto trabalhavam remotamente durante a pandemia foram os únicos impactados negativamente pelo retorno ao trabalho. Eles experimentaram uma queda de 14,16%, passando de uma frequência de 5,23 vezes para 4,49 vezes/semana.
  4. Dos entrevistados que não estavam se exercitando ativamente enquanto trabalhavam remotamente, 59,52% disseram que estão se exercitando ativamente agora, passando a se exercitar, em média, 2,64 vezes por semana.
  5. Por outro lado, 3,91% dos que faziam exercícios antes de voltar ao trabalho, agora pararam totalmente de se exercitar.

Ficou interessado nesse artigo?

Assine a REF&H por R$ 120,00/ano e tenha acesso a mais de 300 artigos, além de todo o acervo (mais de 2000 artigos) disponível em formato digital em nosso site.

Mudanças nos hábitos de exercícios de corredores

Correr tem sido uma grande tendência do condicionamento físico durante a pandemia, visto que foi uma das maneiras mais fáceis de se exercitar quando outras opções, como academias ou esportes coletivos, não eram mais viáveis ​​durante esse período.

Ao observar a frequência de exercícios dos corredores, vemos que eles seguem muitas das mesmas tendências. Os corredores do grupo de baixa frequência viram um aumento na frequência de exercícios de 150,88%, enquanto os do grupo de frequência moderada viram um aumento de 40,74%.

Novamente, o único grupo a experimentar um declínio nos exercícios foi o grupo de alta frequência, caindo 8,71% desde o retorno ao local de trabalho em tempo integral.

Conclusão

O retorno ao local de trabalho após a pandemia sinaliza um retorno à normalidade. Traz uma estrutura, rotina e estilo de vida familiares para muitos. Tudo isso parece ter criado um crescimento significativo nas taxas de prática de exercícios para os quem estava trabalhando remotamente e que foram os menos ativos durante a pandemia. Aqueles que estavam se exercitando mais viram uma diminuição na frequência do exercício. Apesar disso, de modo geral, mais pessoas estão experimentando os benefícios dos exercícios desde o retorno ao trabalho, sejam eles praticantes de treinamento de força ou exercícios cardiovasculares.

Fonte: RunRepeat

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia outros artigos

O que achou desse artigo?

Publicidade

REF&H
Enviar