Publicidade

A suposta falta de tempo para frequentar o Pilates

Colunista: Rodrigo Perfeito

Não é segredo para ninguém a famosa frase: estou me desligando do estúdio de Pilates pelo motivo de não ter mais tempo para praticar exercícios.  Também não é segredo para ninguém que essa mesma pessoa passa horas nas redes sociais dando aquela espiada na vida alheia. Até aí, tudo bem! Ela escolhe o que faz da vida e quais consequências quer pagar diante do envelhecimento.

O que não pode ocorrer é o fato do empreendedor do ramo do Pilates deixar passar esses sinais entre linhas e achar que está tudo bem. Se o praticante não está praticando, algo está errado. E não é com ele!

Vou traçar 3 pontos para que possamos refletir um pouco sobre esse evento:

1. Todo mundo tem tempo

Essa frase é clássica e é real: todo mundo tem tempo, o que falta é mudar as prioridades! Todo mundo tem 24 horas no seu dia. Se todos possuem tempos cronológicos iguais, como pode uns conseguirem tempo para fazer o Pilates e outros não?

Será que é falta de tempo ou de convencimento? Já sabemos a resposta. Cabe ao empreendedor criar estratégias para mostrar que o produto que vendemos, que é o Pilates, é mais importante do que outros. E nem tente esse papo de que o Pilates é mais importante do que passar horas no Instagram. Quem decide o que é importante para a vida dele, é ele próprio. Não são discursos de culpabilização que irão fazer ele mudar de ideia.

2. Estratégias de organização

Às vezes, perdemos muito tempo por falta de organização das tarefas. E muitas dessas situações não são enxergadas pelo cliente. Você já parou para pensar que o estúdio de Pilates pode ter papel ativo nessa organização?

Crie alternativas! Por exemplo: existe alguma turma exatamente no horário em que ele passa no seu estúdio? Esquece essa massificação de que as aulas precisam acontecer de 1 hora em 1 hora. Se você não está prescrevendo exercícios sem objetivo e ao relento, eles são específicos para cada praticante. Então, qual a diferença da aula ir de 9 horas às 10 horas ou das 9:48 às 10:48h? Ele começa a hora que ele chegar… Nem dê chance do seu cliente ir para casa… se ele for e tomar um banho, do sofá não sairás mais. Muitas vezes, o cansaço é mais forte que a ideia de promoção da saúde. Fica a dica e pense nisso com carinho!

3. Esteja onde ele gasta o tempo dele

Se mesmo criando horários mais comerciais, ele está tão cansado para ir ao seu estúdio, ou ainda, ele quer usar as redes sociais no tempo vago, seus problemas acabam se você tiver um computador, internet e ideias empreendedoras.

Além de a divulgação ter essa necessidade de estar nas redes sociais, a própria prática pode ocorrer por lá. Isso mesmo! Seu praticante faz a aula ao vivo por live e o professor fica de olho nele pelo celular. Sabemos que não é a mesma coisa e que ele só conseguirá fazer os exercícios de solo, mas estamos falando da escolha disso ou do sedentarismo. Esteja onde ele gosta de estar!

Essas são 3 dicas que podem ajudar você a raciocinar sobre seu estúdio de Pilates. Estamos em uma era de valores invertidos. Isso fica claro em diversas situações do dia a dia, nas diversas esferas do viver. Mas não adianta brigar com seu cliente acreditando que praticar exercício é mais importante do que beber uma cerveja, ou gastar o dinheiro da mensalidade em uma pizza, ou ainda, ter o dinheiro, mas não ter força de vontade para ir ao seu estúdio.

Isso é um pensamento infantil, anti empreendedor e inocente. Quem decide o que é melhor para a vida dele, é somente ele. E se está mais feliz bebendo uma cerveja, quem somos nós para falar que exercício é melhor?

Discursos de ódio não resolvem nada! Convença-o com estratégias mais inteligentes, como a de ter uma cerveja na sua geladeira e tomar “umazinha” com ele no final da aula. Esquece essa idéia de que instrutor precisa ser uma estátua de um guerreiro grego. Somos seres humanos, comemos e fazemos besteiras como nossos clientes… Se a vida fosse só frango com batata doce, aí sim, você estaria certo!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia outros artigos

O que achou desse artigo?

Publicidade

REF&H
Enviar