Publicidade

5 passos para organizar a gestão financeira da sua academia

Colunista: Léo Cabral

Ou você realiza essas 5 ações na gestão financeira da sua academia, estúdio ou box de CrossFit, ou muito breve não terá dinheiro para pagar suas contas. Simples assim!

Apesar de todas as perdas, tristezas e perigos que muitos estão correndo nesse momento de pandemia, você não pode deixar de reconhecer as mudanças positivas provocadas.

Indo muito mais além, a aceleração da transformação digital, na minha opinião, não sei se você também está passando por isso, mas muitos empreendedores(as) e gestores(as) do mercado fitness despertaram para um novo olhar.

Algo que muitos não priorizam ou não davam a devida importância… a visão, o planejamento e a gestão estratégica.

Eu não sei se você sabe, mas nas últimas duas décadas, a expressiva expansão do mercado fitness nacional deixou uma grande dívida que hoje está sendo paga durante a pandemia.

Muitas empresas foram criadas nesse setor sem pré-requisitos importantes que dão segurança ao investimento realizado por todos os sócios e ao tempo de retorno esperado.

Por exemplo, antes de você abrir sua empresa…

  1.  Você fez um estudo de geomarketing do local onde abriu a sua academia e verificou os riscos de concorrência, perfil do mercado de serviços da região e validou o público-alvo em um raio de 500m a 1km do endereço da sua empresa?
  2. Você definiu claramente o seu modelo de negócio e buscou diferenciação considerando os desejos do seu público-alvo e considerando as características e vulnerabilidades dos seus concorrentes?
  3. Você fez um planejamento orçamentário e realizou projeções de crescimento em pelo menos 3 cenários (pessimista, conservador e otimista) a fim de determinar o risco financeiro e a viabilidade do investimento?
  4. Considerando o item anterior, antes de abrir a empresa você sabia qual era o seu ponto de equilíbrio (break even point) e em quanto tempo você o atingiria?
  5. Você sabia quanto precisava de capital de giro para aguentar o período que antecede o atingimento do seu ponto de equilíbrio e os períodos de sazonalidade do mercado, férias, inverno?
  6. O tempo de retorno do investimento (ROI) e o Valor Presente Líquido (VPL) e a Taxa Interna de Retorno (TIR) dos 3 cenários de projeções asseguravam que você e seus sócios poderiam investir na abertura da sua empresa, pois os resultados apontavam segurança?

Em cada 100 empresas no setor, apenas 5 respondem sim para todas as perguntas acima.

Se você respondeu sim, parabéns! Você faz parte dos 5% que cumpriram a parte principal dos pré-requisitos para a abertura de uma empresa.

Muitas empresas do nosso setor fecharam antes, durante a pandemia e ainda fecharão suas portas em breve pois ou não eram viáveis financeiramente, ou tinham margens muito apertadas e por não terem organização financeira cometiam suicídio em virtude de tomadas de decisão de investimento ou aumento de gastos sem considerar informações relacionadas à gestão financeira.

Caso não tenha respondido, não se desespere.

Os 5 passos a seguir te ajudarão a organizar o ponto mais importante do seu negócio hoje, a gestão financeira.

Caneta e papel na mão? Vamos lá:

Ficou interessado nesse artigo?

Assine a REF&H por R$ 120,00/ano e tenha acesso a mais de 300 artigos, além de todo o acervo (mais de 2000 artigos) disponível em formato digital em nosso site.

Passo 1

Escolha uma ferramenta para gestão financeira do seu negócio. Por quê? Existem 3 ferramentas importantes: Balanço Patrimonial, Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE) e Fluxo de Caixa. Sem sombras de dúvidas, eu recomendo você começar pelo fluxo de caixa. Entenda, uma empresa pode ter prejuízo no mês ou em um período, mas não fecha. Agora, uma academia quebra, fecha suas portas, porque não tem dinheiro no caixa.

Passo 2

Organize e parametrize o seu plano de contas. Por mais, que equivocadamente, muitos tratem como sinônimos custos e despesas são tipos de gastos diferentes, principalmente, se ainda dividirmos custos fixos de custos variáveis, receitas operacionais de receitas não operacionais e por aí vai. Especificar o nome das entradas e saídas na sua empresa e posteriormente classificá-las dentro do seu plano de contas será muito importante para que possa posteriormente criar indicadores financeiros e realizar análises de como está indo e onde precisa melhorar.

Passo 3

Tenha organização, dê prioridade e tenha o hábito de realizar os lançamentos do seu fluxo de caixa diariamente. Falo para você com muita tranquilidade, toda vez que introduzimos a gestão do fluxo de caixa muitos clientes inicialmente apresentam dificuldade de praticar os lançamentos diários. Eu entendo que naturalmente nosso cérebro é resistente a mudanças de comportamento e acaba atrapalhando a aquisição de novos hábitos. A grande solução que você precisa trabalhar em sua mente é que a sua academia, estúdio ou box de CrossFit pode “quebrar”, fechar as suas portas por não ter dinheiro no caixa. Você não quer isso, quer? E mais do que nunca, vivemos um mundo de mudanças constantes e rápidas, não temos previsibilidade do futuro, por isso mais do que nunca, você não pode deixar de lançar diariamente as entradas e saídas do seu caixa. Entendeu?

Passo 4

Não utilize faturamento como indicador de negócios e muito menos use o faturamento para montar as metas da sua equipe comercial. Primeiro, porque no fluxo de caixa utilizamos receita no regime de caixa. Além disso, o seu faturamento pode aumentar e gerar vários “falsos positivos”. Por exemplo, você pode aumentar seu faturamento e ao mesmo tempo estar diminuindo a sua receita de competência, a sua receita de caixa e o seu ticket médio. E antes que eu me esqueça, aumento de faturamento não está diretamente relacionado com aumento do lucro ou do fluxo de caixa como alguns falam equivocadamente para chamar a sua atenção nas redes sociais. Aproveito para te convidar a ler o artigo que escrevi na edição anterior onde eu apresento explicações e detalhes desse assunto.

Passo 5

Por favor, me prometa: em hipótese alguma, aumente seus gastos ou realize investimentos sem antes realizar projeções do seu fluxo de caixa. É muito importante você considerar os compromissos futuros de entradas e saídas para que não tenha que recorrer a empréstimos com taxas abusivas a fim de ter capital para honrar seus compromissos. Combinado?

Apesar de toda crise econômica que vivemos, o mercado fitness brasileiro apresenta boas perspectivas, principalmente, em virtude da conscientização da população que exercício físico não serve apenas para cuidar de questões estéticas, mas principalmente na prevenção e no tratamento de doenças.

Então, pare de reclamar do mercado, da concorrência e mude, pois ainda dá tempo de você sair na frente e surfar nessa onda de oportunidades que está se formando.

Aproveito para te convidar para fazer parte do meu canal no Telegram “Dicas de Gestão Fitness”. Temos podcasts toda semana, dicas e costumo compartilhar notícias do mercado nacional e internacional. Para participar basta clicar aqui.

Até a próxima edição!

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia outros artigos

O que achou desse artigo?

Publicidade

REF&H
Enviar