Publicidade

Finanças para academias: apurando resultados, a hora da verdade

Colunista: Celso Cunha

Neste artigo, vamos dar sequência à série “Finanças para Academias” com o objetivo de desmistificar o tema, que já teve dois outros artigos publicados:

Nesse artigo, vamos confrontar as entradas com as saídas de caixa e apurar o resultado dessa equação. Minha intenção é simplificar ao máximo para que mais pessoas possam absorver esses ensinamentos e entender a importância desse relatório que servirá como um norte em suas tomadas de decisões.

Balanço, balancete, Demonstrativo de Resultado de Exercício (DRE) são nomenclaturas para formação de contabilistas, o que não é o caso aqui; mas sim o conceito, sua aplicação, o que é, para que serve e de que forma pode contribuir para que possamos errar menos em nossas decisões. 

Independentemente do segmento em que a empresa atue, algumas perguntas devem ser respondidas; dentre elas a mais básica de todas:

Estamos fechando o mês com lucro ou prejuízo?

A partir dessa resposta, apurada através da equação motivo desse artigo, podemos:

  • Repor o capital de giro, caso exista e tenha sido utilizado.
  • Construir ou fazer crescer as reservas financeiras da empresa
  •  Direcionar parte ou todo o lucro para reinvestimento no próprio negócio ou em outro.
  • Dividir todo ou parte do resultado entre os sócios, seja lucro ou prejuízo.

Sem sabermos o resultado, quaisquer dessas perguntas vagariam no campo do “achismo” com grandes chances de escolhas erradas por ignorarmos os legítimos resultados.

RECEITA
DESPESAS/CUSTOS
ADESÃO/MATRÍCULA
R$…
FOLHA PGTº
R$…
AVULSO
PROVISIONAMENTOS
MENSAL
ALUGUEL
TRIMESTRE
IMPOSTOS
SEMESTRE
MAT LIMPEZA/ESCRIT.
 
ANUIDADE
LUZ
 
PACOTES
CONTADOR
 
OUTROS….
OUTROS…
 
OUTROS…
OUTROS…
 
 
 
 
 
FATURAMENTO
R$52.000,00
TOTAL
R$40.000,00
RESULTADO FINAL LUCRO R$12.000,00

 Após o preenchimento dessa simples tabela apurando o resultado do mês, podemos extrair informações preciosas que, para olhos atentos e a noção de muito e pouco, mais ou menos, serão validadas através do comparativo proporcional com meses passados, que podem ocorrer pela simples soma dos alunos ativos, despesas, receitas, tíquete médio… até analisarmos a relação de eficiência/eficácia, investimento/retorno, lucro sobre o faturamento, payback e projetar o futuro, a capacidade de pagamento da empresa para contratações, demissões, investimentos, empréstimos, prestações e uma infinidade de decisões que compõem a rotina de todo gestor que se preze.

Existe uma máxima que, para administrar, é preciso contar tudo, extrair números das ações rotineiras da empresa e, baseado nisso, definir processos, caminhos, metas e objetivos.

Faço um convite a vocês gestores:

Vamos às contas e conheçam a fundo a empresa que está sob seu domínio!

Quaisquer dúvidas é só me contatar aqui nos comentários do artigo ou nas redes sociais.

Até a próxima!

Leia outros artigos

O que achou desse artigo?

Publicidade

REF&H
Enviar