O American College of Sports Medicine (ACSM) lançou mais uma pesquisa sobre as tendências do fitness para 2020. Uma novidade na pesquisa deste ano foi a inclusão de novas tendências em potencial, como a medicina do estilo de vida.

Os resultados desta pesquisa anual ajudarão os gestores a tomarem algumas decisões estratégicas para o crescimento e desenvolvimento dos seus negócios. Cabe a cada gestor determinar quais tendências se encaixam em seu modelo de negócio e como melhor utilizá-las para uma potencial expansão do mercado.

É preciso entender, entretanto, que tendências podem ser regionais e não se traduzirem em tendências internacionais.

tendencias-2020-para-o-fitness

Tendência x modismo

Dos 56.746 convites enviados, apenas 3.037 responderam à pesquisa (taxa de retorno de 6%). Foram recebidas respostas de praticamente todos os continentes, de países como Austrália, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Japão, Índia, Itália, Rússia, Cingapura, Espanha, Taiwan, Reino Unido e Estados Unidos.

Na pesquisa os respondentes foram orientados a avaliar o que realmente seria tendência e o que seria modismo. De qualquer maneira, os modismos não aparecem sequencialmente ao longo das edições da pesquisa; as tendências costumam aparecer durante várias dessas edições.
Os dados demográficos apurados dos respondentes perfizeram um total de 59% respondentes do sexo feminino, com uma grande variabilidade de idades, 40% com mais de 10 anos de experiência no setor e 20% com mais de 20 anos de experiência. Quase 25% dos entrevistados recebiam um salário mensal de cerca de R$ 17.000,00, incluindo 5% que ganhavam mais de R$ 30.000,00 por mês.

Resultados da pesquisa

Abaixo você encontra as principais tendências do fitness pra 2020, com uma breve explicação e cada uma delas. Para uma comparação das 10 principais tendências do ACSM nos últimos 14 anos, consulte a tabela que se encontra nesse link.

  1. Tecnologia vestível: novamente em primeiro lugar – desde 2016, à exceção do terceiro lugar em 2018 – inclui smartwatches, frequencímetros e dispositivos de rastreamento GPS. A indústria dos chamados wearables foi estimada em cerca de US$ 95 bilhões.
  2. Treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT): estes programas de exercícios são caracterizados por curtos períodos de exercícios de alta intensidade, seguidos por um curto período de descanso. Apesar dos riscos de potenciais lesões com essa atividade, ela tem se tornado cada vez mais popular em academias de todo o mundo, mantendo no topo da pesquisa (entre as três primeiras tendências) desde 2016.
  3. Atividades coletivas: dando um salto da sexta colocação para os top 3 a partir de 2018, a pesquisa mostra que as aulas coletivas não morreram! Elas são definidas como aulas ministradas para mais de cinco participantes, onde os professores ensinam, lideram e motivam os participantes.
  4. Treinamento com pesos livres: pesquisas anteriores incluíram uma categoria descrita como “treinamento de força”. Como era uma categoria muito ampla, essa nomenclatura foi descartada e “treinamento com pesos livres” foi adotado. Essa classificação não inclui apenas a simples utilização de pesos livres, halteres, kettlebells, halteres e medicne balls, mas a proposta do professor de começar ensinando a forma adequada para cada exercício e aumentar progressivamente a resistência quando a forma correta é assimilada.
  5. Treinamento personalizado: o treinamento personalizado ou personal training continua a ser uma tendência, à medida que essa atividade se torna mais acessível on-line, em academias, em casa e em locais de trabalho que possuam academia. O treinamento personalizado inclui testes de condicionamento físico e estabelecimento de metas, com o professor trabalhando individualmente com um cliente para prescrever exercícios específicos para suas necessidades e objetivos individuais. Top 10 desde que a pesquisa foi criada em 2006.
  6. Exercício é remédio: traduzido do termo Exercise is Medicine® (EIM), trata-se de uma iniciativa global de saúde que se concentra em incentivar os médicos da atenção básica e outros profissionais da área da saúde a incluir atividades físicas como parte do tratamento de doenças, encaminhando os paciente para profissionais de Educação Física habilitados. O programa reconhece esses profissionais como parte de equipes multidisciplinares.
  7. Treinamento com peso corporal: utiliza uma combinação da resistência do corpo e movimentos em vários planos de movimento. O treinamento com peso corporal utiliza o mínimo de equipamentos, o que faz dele uma modalidade barata e eficaz de treinamento.
  8. Exercícios para a 3ª idade: essa tendência continua a enfatizar a necessidade da prática de atividades físicas para as gerações mais antigas. As academias podem se beneficiar desse mercado em crescimento, uma vez que as pessoas vivem mais, trabalham mais e permanecem saudáveis e ativas por muito mais tempo.
  9. Coaching em saúde e bem-estar: uma tendência crescente de integrar a ciência comportamental aos programas de promoção da saúde e medicina do estilo de vida. Utilizando uma abordagem individual – às vezes em pequenos grupos – o coach oferece apoio, orientação e incentivo, concentrando-se nos valores, necessidades, visão e objetivos de curto e longo prazos do cliente, usando estratégias de intervenção para mudança de comportamento. O termo anterior referia-se apenas a “coaching em bem-estar” e o termo “saúde” foi incluído nessa última pesquisa.
  10. Empregar profissionais habilitados: no Brasil, o profissional de Educação Física é habilitado para a prescrição de exercícios físicos, com a profissão regulamentada por lei desde 1998 e a conscientização da população acerca da importância disso tem sido uma tendência cada vez mais crescente.
  11. Exercício para perda de peso: a maioria dos programas de emagrecimento inclui algum tipo de programa de exercícios na rotina diária de restrição calórica, acrescentando o gasto calórico da atividade física. Sempre esteve entre as vinte tendências desde que a pesquisa foi lançada.
  12. Treinamento funcional: utiliza o treinamento de força para melhorar o equilíbrio, a coordenação, a força muscular e a resistência para melhorar as atividades da vida diária, que são replicadas durante a sessão de treinamento.
  13. Atividades ao ar livre: essas atividades estão se tornando cada vez mais populares. Essa tendência começou a aparecer em 2010.
  14. Yoga: essa atividade teve diversas adaptações para o mercado fitness e desde 2008 integra essa lista de tendências.
  15. Habilitação profissional: a habilitação profissional é obrigatória no Brasil e apenas profissionais que passam por uma universidade de Educação Física podem exercer a profissão. Apesar de ter entrado na lista de tendências apenas em 2018, a profissão é regulamentada e a habilitação profissional é exigida no Brasil desde 1998.
  16. Medicina do estilo de vida: trata-se da prática baseada em evidências de ajudar indivíduos e famílias a adotar e manter comportamentos saudáveis que afetem a saúde e a qualidade de vida. Exemplos de comportamentos a serem modificados incluem, entre outros, a eliminação do uso de tabaco, a melhoria da dieta, o aumento da atividade física e a moderação do consumo de álcool. A medicina do estilo de vida promove comportamentos saudáveis como base para promoção da saúde e prevenção e tratamento de doenças. Estreia este ano na pesquisa de tendências de fitness.
  17. Treinamento em circuito: alguns entrevistados apontaram que o treinamento em circuito é semelhante ao HIIT, mas com uma intensidade muito mais baixa ou até moderada (alguns chamam isso de treinamento com intervalo de intensidade moderada). O treinamento em circuito com pesos remonta a 1953, mas é impossível determinar exatamente quando e sob que circunstâncias ele foi desenvolvido.
  18. Ginástica laboral: programas de promoção da saúde e bem-estar no local de trabalho são tendência em direção a uma variedade de serviços fornecidos pelos empregadores para melhorar a saúde e o bem-estar de seus empregados, avaliando e gerando relatórios sobre seus efeitos na saúde, nos custos e na produtividade.
  19. Mensuração de resultados: esforços são colocados para se definir, acompanhar e relatar os resultados alcançados tanto pelos clientes como pelos profissionais das academias. Isso é particularmente importante para se determinar os benefícios dos programas de exercícios na saúde e na doença. A proliferação da tecnologia ajuda na coleta desses dados.
  20. Exercícios para crianças: a obesidade infantil e adolescente continua sendo um grande problema de saúde na maioria dos países desenvolvidos e em desenvolvimento e é importante devido à sua associação com outros problemas, como diabetes e hipertensão. As academias podem achar nessa tendência uma nova fonte potencial de receita, mesmo que ela seja oscilante na colocação dessa lista de tendências.

Acesse a pesquisa completa nesse link.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia outros artigos

REF&H
Enviar