Publicidade

Tendências do fitness para 2022

Colunista: Redação REF&H

*Tradução adaptada feita por Leonardo Allevato, editor da REF&H, a partir do relatório original do ACSM.

O American College of Sports Medicine (ACSM) já havia previsto que a pandemia mundial do novo Coronavírus mudaria tudo. Na virada de 2021 para 2022, o mercado fitness continua a sentir os efeitos da pandemia e talvez a necessidade de voltar a um estilo de vida “normal”, as vacinas e os esforços para acabar com a pandemia tenham influenciado a pesquisa das tendências do fitness para 2022.

Como exemplo, nas tendências do fitness para 2021, a novidade foi a inclusão de novas tendências, como o treinamento online e o treinamento virtual. Em 2022, aulas on-line ao vivo e sob demanda caíram para a 9ª posição. A tecnologia vestível foi a tendência nº 1 para 2022 e vem se mantendo no topo das tendências do fitness (nº 2 em 2021 e nº 1 em 2019 e 2020). Sem dúvida nenhuma, as recomendações referentes à pandemia fizeram com que o exercício ao ar livre ficasse na 3ª posição em 2022, tendo pulado da posição 17 para a posição 4 em 2020.

Os resultados dessa pesquisa podem (e devem) ajudar a indústria do fitness a tomar decisões cruciais para os negócios com vistas ao crescimento e desenvolvimento.

Metodologia da pesquisa

 A pesquisa foi projetada para confirmar ou introduzir novas tendências (e não modismos) que terão um impacto positivo percebido na indústria de acordo com os profissionais que responderam à pesquisa.

Algumas das tendências identificadas em pesquisas anteriores podem aparecer por vários anos, enquanto modismos podem aparecer, mas provavelmente sairão da lista nos anos subsequentes (alguns permanecem no ranking por apenas um ano).

Para a pesquisa de 2022, havia 43 possíveis tendências. As 25 principais tendências dos anos anteriores foram incluídas na pesquisa, assim como algumas tendências potencialmente emergentes identificadas pelos editores do Health & Fitness Journal® do ACSM.

Na pesquisa, tendências potenciais foram identificadas, seguidas por uma breve explicação para oferecer ao entrevistado alguns detalhes sem incomodá-lo com muita leitura, análise ou interpretação. A pesquisa foi projetada para ser concluída em cerca de 15 minutos, o que tinha como objetivo ajudar na taxa de resposta.

A pesquisa foi enviada para 123.615 pessoas (um aumento de 64% em relação ao ano anterior, que foi de 75.383 respondentes) e obteve uma taxa de resposta de 3,5% (semelhante a anos anteriores), totalizando 4.546 respostas, um aumento de 169 respostas em relação a 2020 (4.377 respostas).

Os dados demográficos da pesquisa mostram que 60% dos respondentes foram do sexo feminino com uma ampla variabilidade de idade, 51% com mais de 10 anos de experiência no setor e 25% com mais de 20 anos de experiência. Mais de 36% dos entrevistados ganhavam um salário anual de cerca de R$ 279.000,00 (cerca de R$ 23.000,00/mês), que incluiu mais de 6% que ganhavam pelo menos R$ 558.000,00/ano (cerca de R$ 46.000,00/mês). Do total de respondentes, 20% eram personal trainers e 33% ministravam aulas particulares ou tinham seu próprio negócio.

RESULTADOS DA PESQUISA

As 20 principais tendências do fitness para 2022 são descritas neste relatório e as novidades para esse ano incluem a “tecnologia vestível” de volta ao 1º lugar e um novo 2º lugar para “academia em casa”. Para maior clareza, o “treinamento on-line” foi redefinido para “aulas on-line ao vivo e sob demanda” e vem de um histórico de nº 26 em 2020, nº 1 em 2021 e cai para nº 9 em 2022. As atividades coletivas caem ainda mais esse ano (de nº 17 para nº 20) e algumas tendências continuam fora da lista desse ano, como por exemplo o “treinamento em circuito” (nº 17 em 2020, nº 26 em 2021, nº 24 em 2022); “ginástica laboral” (nº 18 em 2020, nº 27 em 2021, nº 28 em 2022); “exercícios para crianças” (nº 20 em 2020, nº 28 em 2021, nº 29 em 2022) e “mensuração de resultados” (nº 20 em 2021 e nº 22 em 2022).

Confira abaixo as 20 tendências do fitness para 2022 e mais abaixo você pode conhecer as tendências do fitness 2022 para o Brasil:

Ficou interessado nesse artigo?

Assine a REF&H por R$ 120,00/ano e tenha acesso a mais de 300 artigos, além de todo o acervo (mais de 2000 artigos) disponível em formato digital em nosso site.

Essa tendência vem em primeiro lugar desde que foi incluída na lista em 2016, à exceção de 2018 (nº 3) e 2021 (nº 2). Ela inclui rastreadores de condicionamento físico ou de atividades, relógios inteligentes, monitores de frequência cardíaca e dispositivos de rastreamento GPS. Esses dispositivos podem ser utilizados como um contador de passos e podem monitorar a frequência cardíaca, temperatura corporal, calorias, tempo sentado, tempo de sono e muito mais. Inicialmente, havia alguma dúvida sobre a precisão da tecnologia vestível, mas esses problemas parecem ter sido resolvidos muito bem, tanto que essa indústria foi estimada em cerca de US$ 100 bilhões. As inovações incluem mensuração da pressão arterial, saturação de oxigênio, temperatura corporal, frequência respiratória e eletrocardiograma.

Ter uma academia em casa vai continuar sendo uma alternativa a ir para uma academia, como consequência da pandemia. As pessoas continuarão a se isolar ficando em casa e aproveitando a grande quantidade de equipamentos disponíveis, juntamente com aulas on-line eficazes. Academias em casa podem utilizar o mínimo equipamentos ou esteiras e bicicletas caras e podem ser eventos individuais ou familiares. É a primeira vez que essa tendência aprece na lista e à medida que o mundo emerge do isolamento imposto pela pandemia, os fabricantes de equipamentos da linha residencial precisarão fazer grandes ajustes, incluindo redução do preço dos equipamentos, para convencer os consumidores de que ter uma academia em casa é uma opção melhor do que as academias locais.

Em 2021, essa tendência estava em quarto lugar e talvez por causa da pandemia COVID-19, atividades ao ar livre, tais como caminhadas em pequenos grupos, passeios em grupo ou grupos de trilha tenham se tornado populares. Essas atividades podem ser eventos curtos, eventos de um dia inteiro ou excursões planejadas de uma semana inteira. Os participantes se encontram em um parque local, área para caminhadas ou trilha de bicicleta e normalmente têm um líder com eles. Esta tendência de profissionais de Educação Física oferecerem atividades ao ar livre para seus clientes começou em 2010. Naquele ano, as atividades ao ar livre estiveram classificadas como nº 25.

Pesquisas realizadas antes de 2021 incluíram uma categoria descrita como “treinamento de força.” Concluiu-se que essa descrição era muito ampla e, a partir de 2020, passou-se a chamar “treinamento com pesos livres”. Nas aulas com halteres, barras, kettlebells e medicine ball, os instrutores começam ensinando a técnica adequada para cada exercício e, em seguida, aumentam progressivamente a carga. A técnica adequada e as habilidades do movimento são ensinados para cada novo exercício introduzido. Essa tendência estreou como nº4 em 2020 e caiu para nº 8 em 2021.

Talvez por causa da quarentena imposta pela pandemia e o ganho de peso resultante disso, essa tendência voltou em 2022. A maioria dos programas nutricionais recomenda incluir algum tipo de programa de exercícios na rotina diária de restrição calórica, adicionando o gasto calórico da atividade física à equação. Está entre as 20 tendências desde o início da pesquisa. Em 2009, ela esteve como nº 18 antes de recuperar a popularidade a partir de 2015. A partir de 2016, ela começou a descer na lista até chegar ao nº 16 em 2021.

O treinamento personalizado continua a ser uma forte tendência à medida que a profissão de personal trainer se torna mais acessível on-line, em academias de ginástica, em casa e nos locais de trabalho. O treinamento personalizado inclui testes de condicionamento físico e definição de metas com o treinador, trabalhando de forma personalizada com o cliente para prescrever exercícios específicos para suas necessidades e objetivos individuais. Desde que essa pesquisa foi publicada pela primeira vez em 2006, o treinamento personalizado tem sido uma das 10 principais tendências.

Essa tendência foi a nº 1 em 2014 e 2018 e permaneceu entre as top 5 entre 2014 e 2021, mas em 2022 cai para nº 7. Estes programas de exercícios normalmente envolvem séries curtas de exercícios de alta intensidade seguidos por um curto período de descanso. Embora haja uma variedade de formatos e programas disponíveis, todos enfatizam intensidades mais altas (acima de 90%) durante o exercício, seguidos por períodos de descanso e recuperação. Apesar dos conselhos de alguns profissionais de Educação Física sobre o potencial aumento nas taxas de lesões utilizando-se essa modalidade, o HIIT tem sido popular em academias de todo o mundo.

O treinamento com peso corporal apareceu pela primeira vez nas pesquisas em 2013 (nº 3) e sempre se manteve nos top 5 até 2021 (exceto um nº 7 em 2020). Utiliza uma combinação de treinamento de peso corporal de resistência variável e movimentos neuromotores em vários planos de movimento, utilizando um mínimo de equipamentos, o que o torna uma maneira barata de se exercitar com eficácia.

O treinamento virtual online foi introduzido pela primeira vez na pesquisa anual em 2019, estreando em terceiro lugar, antes de cair para nº 26 em 2020, quando o “virtual” foi retirado do título para especificar melhor o “treinamento on-line” específico. Em 2021, o treinamento on-line foi a tendência nº 1. Na pesquisa de 2022, ele foi redefinido mais especificamente como aulas on-line ao vivo e sob demanda. Uma das grandes mudanças no mercado fitness, resultante da pandemia, foi o fechamento temporário das academias em todo o mundo, forçando a entrega de aulas inovadoras. Os desafios de envolver os clientes à distância resultaram no uso de alguns sistemas de entrega muito estratégicos. O treinamento on-line foi desenvolvido para uma experiência da prática de exercícios em casa. Esta tendência usa tecnologia de streaming digital para entregar programas de exercícios on-line em grupo, individuais ou instrucionais. Ele está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana e pode ser uma aula ao vivo ou previamente gravada.

Pesquisas anteriores incluíram o coaching de bem-estar, mas em 2019, o termo “saúde” foi adicionado, o que melhor descreve esta tendência. O coaching de bem-estar está entre as 20 principais tendências desde 2010 e é uma tendência que integra a ciência do comportamento para a promoção da saúde e programas de medicina do estilo de vida. Essa tendência utiliza uma abordagem personalizada (às vezes em pequenos grupos) com o treinador, fornecendo suporte, estabelecimento de metas, orientação e incentivo. Ela foca nos valores, necessidades, visão, objetivos de curto e longo prazo do cliente utilizando estratégias de intervenção para mudança de comportamento.

Essa tendência continua a enfatizar as necessidades de aptidão física dos baby boomers (nascidos entre 1945 e 1964) e das gerações mais velhas. Esses indivíduos em geral têm uma condição financeira melhor e as academias podem capitalizar em cima desse mercado em crescimento. As pessoas estão vivendo mais, trabalhando mais e permanecendo saudáveis e bem ativas em seus anos de aposentadoria.

Exercise is medicine (EIM) é uma iniciativa global de saúde que concentra-se em encorajar médicos e outros profissionais de saúde a incluírem avaliações físicas e atividade física como parte de cada consulta do paciente e encaminhamento deles a profissionais de Educação Física (PEF). Além disso, o EIM reconhece os PEF como parte da equipe de saúde em suas comunidades. Essa tendência começou como nº 7 em 2017, estando sempre entre as 12 principais tendências do fitness.

Essa tendência mantém-se estável desde 2019, quando estreou como a nº 6 na lista. No Brasil, na falta de “certificações” (esse é o termo utilizado no relatório original), a tendência se reflete na contratação de profissionais formados e registrados no respectivo CREF, o que traz mais segurança para o cliente e credibilidade profissional.

Essa tendência trata de se replicar atividades físicas reais que alguém pode fazer como uma função de sua rotina diária e apareceu pela primeira vez na pesquisa em 2007, na posição nº 4. Essa tendência se concentra no uso do treinamento de força para melhorar o equilíbrio, a coordenação, a força muscular e a resistência para melhorar as atividades da vida diária tipicamente para os idosos, mas também em populações especiais.

A yoga tradicional inclui Hatha, Vinyasa, Ashtanga, Bikram, e Iyengar, mas assumiu uma variedade de versões mais recentes (incluindo Power Yoga, Flow Yoga, Yogilates, Hot Yoga, Foguete Yoga e muitos outros) e agora está disponível sob demanda em vídeos e livros. A yoga apareceu pela primeira vez entre os 10 primeiros nesta pesquisa em 2008.

Agora disponível para dispositivos móveis, aplicativos como FitOn, Adidas Training, Map My Fitness, Sworkit, Daily Workout Fitness Trainer, Aaptiv, 8fit, Fitify, Asana Rebel, Jefit, Pacer, MyFitnessPal e Nike Training Club incluem instruções sonoras e visuais para iniciar e terminar o exercício e dicas para seguir em frente. Alguns desses aplicativos podem acompanhar o progresso ao longo do tempo, bem como centenas de outras funcionalidades. Esteve presente na lista das 20 tendências apenas em 2019 (nº 20) e 2021 (nº 12).

Desenvolvido para uma experiência dos clientes em casa ou em viagens, essa tendência usa tecnologia de streaming digital (aulas ao vivo ou gravadas) para oferecer programas de exercícios individuais on-line. Ela inclui o treinamento interativo personalizado e está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. Pode ser uma aula ao vivo ou previamente gravada. Esta tendência foi limitada a sessões de treinamento individual em oposição à tendência nº 9 para 2022 – exercícios online ao vivo e sob demanda – que são mais projetadas para exercícios em grupo.

Existem algumas profissões nos Estados Unidos e ao redor do mundo que são regulamentados por licença local, estadual ou nacional. No Brasil, é necessário ser graduado em Educação Física e ser registrado no respectivo CREF. Esta é uma tendência no mercado fitness para buscar a regulamentação dos profissionais. Essa tendência apareceu pela primeira vez em 2018, quando foi classificado na posição nº 16, estando sempre entra as últimas cinco tendências da lista.

Medicina do estilo de vida é a prática baseada em evidências de ajudar indivíduos e famílias a adotarem e manterem comportamentos saudáveis que afetam a saúde e a qualidade de vida. Exemplos desses comportamentos são – mas não estão limitados a – parar de fumar, melhorar a alimentação, aumentar a atividade física e moderar o consumo de álcool. Ela promove comportamentos saudáveis como base para cuidados médicos, prevenção de doenças e promoção da saúde. Essa tendência apareceu pela primeira vez em 2020 (nº 16).

As atividades coletivas já existem há muito tempo e têm aparecido como uma tendência potencial em todo o mundo desde que esta pesquisa foi originalmente construída. No entanto, foi apenas em 2017 que ela ficou entre as 20 primeiras, chegando ao segundo lugar em 2018 e 2019 e em terceiro lugar em 2020. Em 2021 ela caiu para nº 17 e agora é a última da lista. As atividades coletivas são projetadas para serem eficazes e motivacionais para diferentes níveis de condicionamento físico em modalidades variadas que vão desde aulas de cardio e ciclismo indoor até aulas de dança e aulas de step. A queda dramática na pesquisa de tendências de 2021 e 2022 pode ser resultado do fechamento de academias ou da recomendação de se proibir aglomerações.

Quer conhecer as tendências do fitness para 2022 no Brasil? Acesse esse artigo.

Ficou interessado nesse artigo?

Nas próximas edições serão publicados materiais complementares a esse relatório  (comparativos, comentários), que estarão disponíveis somente para assinantes. Assine a REF&H por R$ 120,00/ano e tenha acesso a esse material e a cerca de 300 artigos anuais, todo o acervo desde a edição 01 (mais de 2000 artigos) disponível em formato digital em nosso site, além de diversos bônus!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia outros artigos

O que achou desse artigo?

Publicidade

REF&H
Enviar