Publicidade

Que está difícil todos sabemos. Mas a pergunta que não quer calar: “O que fazer nesse momento em que tudo parece perdido?” E aí… preciso saber de qual lado da mesa você está! Do lado de quem já não aguenta mais e está desistindo do negócio ou do lado que, apesar de toda dificuldade, decidiu seguir tentando?

Na primeira opção, dívidas, cobranças, processos e desgastes em exaustivas negociações quase que diárias e poucas possibilidades de acordo já que a fonte de receita é pouca ou quase nenhuma. Na segunda opção, a indefinição quanto ao retorno e as regras a serem seguidas; cujos lugares onde a reabertura foi autorizada houve mais clientes trancando e solicitando a devolução dos valores pagos do que pessoas dispostas a treinar.

Nem tudo está perdido! Nos dois casos ainda há bastante dinheiro na mesa! Vamos aos fatos:

Na primeira opção, temos Ativos e Passivos e ambos podem ser negociados. Existem débitos com os clientes que quitaram suas mensalidades e planos e não usufruíram desse direito por conta do fechamento dos negócios. Por outro lado, existem máquinas, equipamentos, acessórios e mobiliário que podem ser negociados. Nesse momento, os valores de mercado sobre esses itens são residuais em vista dos preços sobre os mesmos bens novos. Mas, talvez não tenha percebido que o maior ativo de todos não está listado acima: sua carteira de clientes. Ativos ou não, podem ser convertidos em valores financeiros ou até em um novo negócio gerador de receita constante ou renda por um período.

Quando um banco é vendido, a instituição que o adquire não tem interesse no imóvel ou mesmo em seus funcionários, que quase sempre, na maioria dos casos, são substituídos. O valor maior está na carteira de clientes e nos negócios originados a partir dela. Em uma academia não é diferente! Na prática acontece assim:

Encontre uma academia próxima cujo gestor pretenda continuar seu negócio. Marque uma reunião e sinalize sobre a pauta da reunião sem muitos detalhes. Faça um levantamento sobre sua carteira de clientes e quanto geraram de receita nos últimos doze meses. Decida os pontos que fundamentarão a proposta:

Avalie se já existe a possibilidade de recolocação para seus serviços no mercado nessa ou em outra área que pretenda atuar. Caso seja profissional de Educação Física poderá atender os clientes convertidos nesse novo local.

Do outro lado da mesa está um empresário da mesma forma convivendo com a pressão das incertezas que pairam sobre a reabertura e dívidas. Na maioria dos casos, nos locais onde as academias reabriram, os clientes apareceram solicitando trancamento e devolução dos valores pagos. O percentual de retorno gira em torno de 30%, o que não seria suficiente para manter as portas abertas até que atinja a faixa de 70% de retorno, em média.

Um desses gestores terá clientes, dívidas e não terá espaço. O outro terá espaço, dívidas e poucos clientes. Eis aí uma oportunidade favorável para ambas as partes! Partindo dessa tese, avance com a proposta sobre seu mailing list e sua presença consolidada na região, do conhecimento que trará consigo e certamente agregará a parceria. Parece bom, não acha? Pois é! Mas não valerá de nada se você não tomar a iniciativa e partir em busca dessa nova empreitada. Hora de ser positivo e dar o primeiro passo!

Lembro de um trecho do livro “A Universidade do Sucesso de Og Mandino”, que após receber uma dúzia de “nãos” e já ter desistindo de tentar, aguarda junto ao meio fio o sinal abrir para que possa atravessar a rua, dirigindo-se ao último banco para solicitar um empréstimo que seria fundamental na busca de seu objetivo. De tanto colecionar respostas negativas passou a duvidar de si mesmo. Até que ouviu uma voz lhe dizendo: “Bom dia senhor, que dia lindo hoje não acha?” E ao olhar para baixo ao seu lado viu um jovem sem as duas pernas sentado sobre um skate aguardando para atravessar a rua.

Naquele momento ele virou a chave e pensou: “Como pode um homem nessa situação ter uma postura tão forte para encarar as dificuldades da vida e eu me achar um derrotado?”

Suas lágrimas e seus pensamentos agradeceram a Deus e a positividade tomou conta dele. Entrou no banco e convenceu o gerente que seria um bom negócio para ambas as partes. Conseguiu o empréstimo, trabalhou muito e meses após quitou toda a dívida iniciando uma trajetória milionária.

Espero que esse artigo de alguma forma lhe inspire e que jamais duvide de sua capacidade de recomeçar!

Bons negócios e boa sorte!

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia outros artigos

Publicidade

REF&H
Enviar